terça-feira, 21 de agosto de 2012



Spleen

                                                                                Numa inútil vontade de viver...
                                                                                            Guilherme de Almeida


Minh'alma já nos píncaros da idade,
Mantém-se neste corpo enfraquecido;
Dos braços meus a força tem partido,
Da vista já m'embaça a claridade.

Tudo me amua, vivo em soledade,
E passo a estertorar, ando esquecido.
Do mundo me fiz sombra, tão sumido,
Da vida eu já perdi toda a vontade...

Tardes, manhãs e noutes, igualmente,
Ficam transpondo assim, inutilmente,
Perdidas, fugidias por aí...

Ainda nessa inútil existência,
Cogito avidamente na ciência,
Qu'eu a este mundo nunca pertenci!

Derek Soares Castro
28 de Novembro de 2011